Como definir o preço de um produto ou serviço?

Como definir o preço de um produto ou serviço?

Como definir o preço de um produto ou serviço? Que fatores devemos ter em conta? É igual definir o preço de um produto físico, um produto digital ou um serviço? Neste artigo, dou-te uma ajuda.

Quer sejas empreendedora ou freelancer, este artigo é para ti! O preço é uma das primeiras variáveis que trabalhamos quando estamos a montar uma loja de produtos ou a comunicar a prestação de serviços. O que vamos pedir ao cliente em troca do produto que lhe damos, ou do serviço que lhe prestamos? 

Existem muitas estratégias diferentes para definir um preço. Um preço alto, por exemplo, nem sempre significa um alto custo de produção – algumas marcas usam o preço alto como estratégia de marketing para atrair determinado tipo de clientes. Seja qual for a estratégia, o preço pressupõe sempre algum lucro. 

Podemos então já definir uma característica do preço: preço não é igual a custo. O preço é o valor pelo qual o cliente está disposto a pagar.  Pode ou não estar ligado ao valor que custa produzir o produto ou prestar o serviço e está bastante relacionado com o tipo de comunicação da marca (como já referi, marcas premiam e de luxo caraterizam-se pelos preços elevados).

Já o custo está diretamente ligado ao investimento feito para produzir o produto ou serviço e é condicionado pelas despesas que tens (matérias-primas, envio, salários, pagamentos a fornecedores, software, equipamento).

Vamos então falar das estratégias mais comuns e aquelas que podes usar para definir o preço dos teus produtos/serviços.

Preço com base no custo 

Nesta tipologia, o preço é definido tendo em conta o custo de produção e as unidades que se estima vender. É uma estratégia commumente aplicada a produtos físicos, mas também pode ser aplicada a produtos digitais (podendo, no entanto, ser mais difícil fazer uma previsão das unidades que se vai vender).

Para chegares a este preço, deves usar a seguinte fórmula:

Custo unitário = custos variáveis + custos fixos/unidades disponíveis

De seguida, aplicas ao valor resultante uma percentagem de lucro. Esta percentagem de lucro és tu que a defines e pode ser variável de indústria para indústria e de produto para produto. 

Preço com base na concorrência

O nome diz tudo, certo? O preço com base na concorrência parte dos preços que os outros comerciantes ou prestadores de serviços definiram. O preço pode ser acima, abaixo ou igual ao da concorrência, e isto depende do tipo de estratégia que queres implementar.

Algo que acontece frequentemente no retalho, por exemplo, é um produto novo entrar no mercado com um preço significativamente abaixo da concorrência, para se dar a conhecer e ganhar quota de mercado. Quando os clientes já reconhecem o produto, o preço aumenta.

Preço com base no equilíbrio oferta-procura

Na terceira abordagem ao preço de que te vou falar, este é regulado pela procura que existe por determinado produto/serviço. Se se trata de algo que tem mais procura do que oferta, o preço sobe. Se for ao contrário, o preço desce. 

O mercado imobiliário exemplifica muito bem este tipo de abordagem. As casas nos centros urbanos, por exemplo, por terem uma procura muito acima da média, estão a registar preços como nunca vimos.

O que devo ter em conta ao definir um preço?

Independentemente da estratégia que escolhas, há algumas coisas que não podes esquecer ao estabelecer um preço. São elas:

Para os produtos físicos – todos os custos de produção, envio, armazenamento, comunicação. 

Para os produtos digitais – o tempo de preparação do produto, bem como os custos de armazenamento digital.

Para os serviços – o tempo que demora a prestar o serviço, bem como todos os softwares e/ou recursos utilizados durante a prestação do serviço.

Dúvidas acerca de como definir o preço de um produto ou serviço? Escreve-me para geral@dasnoveascinco.pt.

YOU MIGHT ALSO LIKE

Leaver your comment