Ser freelancer e trabalhar a tempo inteiro… É possível?

Ser freelancer e trabalhar a tempo inteiro… É possível?

Talvez precises de um dinheiro extra, ou se calhar sempre quiseste ser freelancer, mas tens medo de deixar já o teu emprego a tempo inteiro… É possível ser freelancer e trabalhar a tempo inteiro e neste artigo vou explicar-te como.

Quando comecei a trabalhar como freelancer, estava na faculdade. Para além dos testes e trabalhos, tinha todo o tempo do mundo para dedicar ao meu trabalho. Os anos foram passando e eu fui acumulando responsabilidades: uma casa para gerir, um trabalho a tempo inteiro, um filho, depois outro…

Durante todo este tempo, tive fases mais calmas e outras mais atribuladas, mas nunca deixei de trabalhar como freelancer. O meu projeto próprio complementava o meu trabalho a tempo inteiro: mais motivação, mais desafios e mais dinheiro!

Com o dinheiro extra que fui ganhando, comprei algumas coisas que não eram essenciais, mas que queria muito, fui alimentando a poupança e investindo o dinheiro que ganhava. Era quase um ordenado a mais que me dava (e dá) muito jeito para conseguir ter um nível de vida simpático e responder a todas as obrigações financeiras.

Ser freelancer e trabalhar a tempo inteiro permite-te aumentar o rendimento mensal e preparar a transição para um projeto só teu. Mesmo que ser freelancer a tempo inteiro não passe pelos teus planos, manter um projeto paralelo permite-te ganhar competências para novas funções e enriquecer o currículo. 

Ser mãe, trabalhar e ser freelancer? Impossível!

Ser freelancer e mãe a tempo inteiro é possível! Tal como eu, existem muitas outras mulheres que acumulam as duas coisas. No entanto, requer uma dose gigante organização e resiliência. Há dias em que, depois de trabalhares o dia inteiro, a última coisa que te apetece é chegar a casa e trabalhar um pouco mais. Mas, no final compensa. Ao juntares as duas ocupações, consegues:

  • Fazer uma poupança e por de parte dinheiro para investir
  • Preparar a transição para o teu próprio negócio de forma mais segura
  • Desenvolver competências e resiliência
  • Melhorar o teu CV

ser freelancer e trabalhar a tempo inteiro
Photo by Andrew Neel on Unsplash

Como conseguir equilibrar as duas coisas?

Verifica o teu contrato. Em primeiro lugar, deves acautelar a parte legal da coisa. O teu projeto como freelancer vai ser similar à profissão que desempenhas? Lê todas as cláusulas do teu contrato. Em casos muito específicos, as empresas adicionam cláusulas de exclusividade nos contratos que te impedem de trabalhar com clientes similares ou até mesmo de desempenhar as mesmas funções fora da empresa. Caso tenhas dúvidas, nada como consultar um especialista.

Sê transparente e responsável. Ter um projeto paralelo não deve prejudicar o teu desempenho na empresa onde trabalhas. O trabalho freelancer fica fora da empresa. Não precisas de gritar aos sete ventos o que fazes (se não quiseres), mas não mintas nem escondas. Aquilo que estás a fazer não é ilegal (se verificaste o primeiro passo), por isso, sê transparente. Usa apenas as pausas (como a hora de almoço) para responder a emails e tratar dos teus trabalhos como freelancer. 

Reconhece os teus limites. Nesta fase, não vale a pena aceitares mais trabalhos do que consegues fazer. Uma vez que continuas a trabalhar a tempo inteiro, tens de saber escolher os clientes e trabalhos que são mais interessantes – aqueles que te dão mais gozo, mais dinheiro e que são um maior desafio. Não aceites trabalhos nem prazos difíceis e explica porquê: se o teu trabalho tiver um valo acrescido, os teus clientes vão aceitar e compreender.  

Não comeces do zero. Se estás a acumular responsabilidades, começar do zero só te vai fazer perder tempo. Usa a tua experiência profissional, inspira-te em figuras de referência (atenção, inspirar não é copiar!) e procura informação e ferramentas fidedignas que te ajudem a avançar muito, em pouco tempo.

E, se já chegaste até aqui, tenho uma pergunta para ti: o que te impede de começares a trabalhar como freelancer? Responde nos comentários ou, se preferires, envia-me um email para geral@dasnoveascinco.pt

YOU MIGHT ALSO LIKE

Leaver your comment